Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Amadeus

por Mammy, em 30.09.11
Fomos ao teatro tirar a "barriga de misérias" dos nossos programinhas culturais, mas fomos só os dois, porque a peça não era adequada para crianças.


No teatro D.Maria II está a peça Amadeus, que nos surpreendeu pelas interpretações dos actores, especialmente a do Diogo Infante, que interpreta o papel de Salieri com uma versatilidade maravilhosa. Ele não sai de cena nem por um minuto, deve chegar ao fim completamente esgotado!

Mas o que me deliciou foi a articulação e o conteúdo dos textos, que manipulam a linguagem prodigiosamente e a dicção do Diogo só lhes deu mais encanto ...

Agora, estou a preparar-me para ir ver a próxima que será As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant (está no mesmo teatro) e, segundo ouvi, também é uma boa peça, com óptimas actrizes ...



É que esta história dos "programinhas culturais", é extremamente viciante... 

Experimentem para verem se no período de abstinência não ficam cheios de dores e a coçarem-se freneticamente ...  

Eu já estava com a pele em sangue ...

publicado às 13:20

Só Mais Uma Impressãozita, Se Me Permitem

por Mammy, em 29.09.11
Outra das coisas que me fazem comichão no céu da boca, são as crianças que dormem nas camas dos pais até acabarem, de vez, com a vida sexual do casal.

Não sou contra elas irem para a cama dos pais, longe de mim tal coisa!

Adoro que o meu filho venha ter connosco, para fazer miminhos, de manhã, enquanto ainda estamos todos naquele estado de sonolência agradável ... Ou quando tem um pesadelo que se venha confortar no calor do nosso abraço. Mas a noite toda, os três apertados na cama, a dormirmos todos tortos e sem que eu consiga chegar ao pai dele e vice-versa ... NÃO! Definitivamente, NÃO! 

Não me sinto, nem um bocadinho, pior mãe por ele não dormir connosco! Ele tem o canto dele e nós o nosso ...

Não é por acaso que se fazem camas de casal e não se fazem camas familiares ...
E as "king size"? Estarão vocês a pensar ...
As "king size" são para pessoas grandes ou para grandes aventuras, que não são (hoje) para aqui chamadas ...

Além de achar que as crianças precisam da sua autonomia e os pais da sua privacidade, dormir com os pais é um mau hábito. (Sei que ao fazer esta afirmação, muitos de vocês vão deixar de vir aqui, mas prefiro correr esse risco, a guardar esta opinião só para mim). E são um mau hábito, porque as engana ao fazê-las pensar que aquela cama é delas também e não as faz perceber que os pais têm um tipo de relação entre eles, diferente da que têm com os filhos.

E, mais uma vez, voltamos à história do comodismo ...
Na maior parte dos casos, os filhos dormem com os pais, porque é mais fácil não termos que nos levantar inúmeras vezes para ir ver se estão bem, para os confortar do medo do escuro, ou para os tapar ... É mais fácil, é mais fácil, é mais fácil ...

Quem disse que ser pai/mãe é fácil?


publicado às 23:29

O Carrinho De Bebé E A Chucha Com Uma Criança No Meio

por Mammy, em 28.09.11
Entre uma quantidade enorme de outras coisas, há uma que me faz mesmo muita impressão ...  

Ver crianças com mais de três anos em carrinhos de bebé com uma chucha na boca, põe os meus (dois) neurónios numa luta desenfreada, à procura de uma explicação que seja suficientemente válida para valer tamanha atrocidade. 

Podem dizer-me que "as crianças cansam-se muito, estão sempre a pedir colo e assim vão ali descansadinhas, enquanto nós não precisamos de parar para atender às birras do "não quero andar mais"". Podem até tentar convencer-me que assim "vão mais calmas e entretidas" ... Em relação à chucha a frase que mais oiço é "não conseguimos tirar-lha, já tentámos de tudo"...

Desculpem-me, mas não me convencem que acreditem realmente que estas são umas boas justificações ou que não conseguem fazer melhor do que isso ...

Quando alguém me "atira" com histórias destas, só me apetece dizer: 
-Essa conversa cheira-me, unicamente, a comodismo "puro e duro"!

Ninguém disse que era fácil educar os filhos, nem que bastava dizermos para eles fazerem uma coisa, que eles iam logo a correr fazê-la ... Ninguém disse que nós (pais) sabemos sempre como convencê-los, nem que éramos perfeitos e donos da razão em todas as situações ...

Ser pai/mãe é uma tarefa árdua! É preciso tentar, tentar e tentar ... E se não chegar, tentar outra vez  e com todos os meios ao nosso alcance ...

Claro que é muito mais fácil deixá-lo andar de chucha até o dentista dizer que se não lha tiramos a criança vai ficar com os dentes todos tortos. Claro que é muito mais fácil ter os nossos filhos "arrumados" num carrinho de bebé enquanto fazemos compras, do que pegá-lo ao colo de 10 em 10 minutos ou ter que ralhar com ele, em público, quando faz uma birra.

Quem disse que na educação das crianças, o fácil é o melhor caminho?

Devem estar a pensar quem sou eu para ter a mania que percebo muito de educação ...

É verdade não sou ninguém especial, nem percebo assim tanto de educação, mas sou uma mãe que já passou, pelo menos, pelas birras na rua e pelo cansaço de um filho que "neste momento não dá jeito nenhum, porque tenho imenso que fazer!"

E ainda vos digo mais: quando estava grávida do J., desejava tudo menos ter um filho que se atirasse para o chão em plena via pública. E sabem o que aconteceu? O J., com cerca de dois anos, fazia birras, de eu o ter que trazer arrastado por um braço, aos gritos, nada menos do que dia sim, dia sim ...

Eu não sabia lidar com este tipo de teimosia (só com aquele em que dizemos "ok, tens razão" e depois damos meia volta e deixamos a pessoa a falar sozinha) e fui aprendendo.

Se aprendi logo? Se foi fácil? Se errei?
Não, não e sim, muito. Mas nunca optei pela via, aparentemente, mais fácil - enfiá-lo num carrinho de bebé com uma chucha na boca!

As crianças precisam de fazer birras para afirmarem a sua personalidade e nós precisamos aprender a lidar com elas, impondo limites para que elas saibam até onde podem ir.
É uma questão de quase sobrevivência para as crianças, elas precisam perceber que se não param antes do precipício, acabam por cair!
Evitar as birras não ensina nada a ninguém, antes pelo contrário, adia um problema que, mais tarde, será muito mais difícil de resolver, acreditem!

publicado às 18:18

Cromos

por Mammy, em 27.09.11
O meu rapazito já está tão grande, que além de me dar quase pelo ombro (e eu tenho 1,80cm), já leva livros para ler nos intervalos das aulas.

Não sei se será assim tão positivo, pois os miúdos que lêem não são lá muito bem vistos pelos restantes ...

Como o pai diz: "ou passa a ser moda e os miúdos substituem a bola pelos livros (o que seria bem engraçado de ver) ou ele está, definitivamente, metido em sarilhos!"

O rapaz prefere o basquetebol ao futebol, já sabe ler melhor que muitos miúdos de 10 anos, fala de assuntos de adultos com um à-vontade impressionante, passa as férias a conhecer novos lugares em vez de passar o verão a chapinhar na água do mar (por mais estranho que pareça, vem de lá todo contente) e agora passou a levar livros(?) para a escola, que lê nos intervalos ...

O que o safa de ser severamente ostracizado, é dar uns toques na bola e saber o nome de todos os jogadores de futebol e as equipas a que pertencem ...

E pensar que estávamos tão renitentes em comprar a caderneta dos cromos de futebol ...

Bendita sejas, Adrenalyn!

publicado às 23:16

Puzitos

por Mammy, em 26.09.11
Estava eu nos miminhos com o J., a seguir à história da noite e ele diz:
-Mãe, vou ter que interromper este amor todo!
-Sim, então porquê?
-Vou dar um puzito!
(É como chamamos aos gases mal cheirosos)
- Ok, vou fugir!
-Pronto, mãe, então já não dou ...
-Ainda bem!
-Mas posso dar a qualquer momento ...

publicado às 23:43

Mais Um Dia de "Mãe Babada"

por Mammy, em 26.09.11

Fomos ver o Capuchinho Vermelho ao cinema. O filme é engraçado, sem ser nada de especial! Gostei mais do primeiro ...

A minha "babadice" não tem a ver com o filme directamente, mas com o cinema a que fomos.
O J. sempre se recusou a ir a este cinema, pois tem uns "bonecos feiosos" no corredor que dá para as salas e, hoje, finalmente, conseguimos que ele passasse por eles ...

Foi de mão dada comigo ou com o pai, ou então, agarrava-se, discretamente, ao bolso das minhas calças ... 
Passou ao lado dos bonecos para entrar na sala e depois de ver o filme, teve que passar outra vez ao pé dos deles para irmos embora. 

No final, perguntámos-lhe se ele não se sentia bem por ter ultrapassado o medo e ele disse que sim, todo contente. 

Este meu filho é mesmo um corajoso, o único problema é que a mãe dele fica-se sempre a babar ...

publicado às 00:03

Coisas Que as Crianças Sabem

por Mammy, em 25.09.11
- Mãe, eu gostava tanto do teu leitinho!
- Lembras-te do sabor?
- Não!
- Então, como sabes que gostavas?
- Sei ...

publicado às 11:19

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Visitas