Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Stephanie?

por Mammy, em 11.02.14

Mas porque raio a tempestade de ontem se chama Stephanie em vez de Joaquina Maria ou Cátia Vanessa?

Porquê Stephanie? Hum?

 

Isso é nome de tempestade "amaricana", pá!

publicado às 00:10

Trivial, Meus Caros Pais!

por Mammy, em 03.02.14

Eu e o pai do J. jogámos muito Trivial Pursuit durante o namoro. 

Ontem, em conversa com o J. chegámos à conclusão que ele já estava preparado para começar a jogar este jogo connosco. 

Pegámos no velhinho Trivial Pursuit Edição Genus e pusemo-nos, os três, a jogar. As perguntas não são muito actuais, por isso fomos dando uma ou outra pista ao J....

 

Pergunta para queijinho cor-de-rosa do J.: "De que grupo musical, muito apreciado nos anos 70, são êxitos como FernandoDancing Queen e Waterloo?"

Pista dos experts, e armados em espertos, em Trivial: É um grupo sueco.

J.- Abba?

 

E não é que o sacaninha ganhou o jogo?

 

Trivial, meus caros pais!

 

publicado às 02:40

Manela

por Mammy, em 20.01.14

Quem é que teve a brilhante ideia de pôr a Manuela Moura Guedes a apresentar o "Quem quer ser milionário?"

 

Parece que quer comer os concorrentes vivos!

MEDO!

 

Tags:

publicado às 22:41

Dona Dolores

por Mammy, em 14.01.14

Eu vinha aqui dizer qualquer coisita sobre o Cristiano Ronaldo para depois não virem dizer que não sou boa portuguesa e que não tenho orgulho nos pés do moço, blá blá blá, blá blá blá, blá blá blá... 

 

Mas mudei de ideias. 

 

Como não se vai falar de outra coisa nos tempos mais próximos, intercalando-se o Cris, com o Eusébio e o Mandela e porque este é um blogue de mães, ou melhor de uma misera mãe, decidi, então, falar da Dona Dolores, assim a modos que por solidariedade maternal e para tentar ser original.

 

Adorei ver a Dona Dolores a limpar a lagrimita à écharpe! 

 

Pronto, está falado!

 

publicado às 00:34

O Poeta (ou a Poetisa) é um Fingidor

por Mammy, em 07.01.14

Em mais uma conversa pré-sono, falávamos de umas supostas pretendentes do J. 

 

- Ela disse que a minha letra era muito bonita!

- Oh, então está apaixonadíssima. Qualquer pessoa, no seu perfeito juízo, sabe que a tua letra não é nada bonita. Ela é voadora, nunca está toda sobre a linha. Mas bonita, não! Definitivamente, só uma pessoa apaixonada pode achar a tua letra bonita.

- Eh eh eh eh! Pois é. Pois, deve estar!

- E tu?

- Não sei. Ainda não sei.

- Mas há mais alguma menina que faça esse coraçãozinho bater com mais força?

- Há.

- Há? Quem?

- A M.

- E quem é a M.? Se é que posso perguntar?

- É aquela que vimos no outro dia, que tem o cabelo assim, mais ou menos, do tamanho do teu.

- Pois... Não sei. Sabes que há umas meninas lá da tua escola que eu confundo sempre. Nunca sei quem é quem. Mas não faz mal. Depois vejo se descubro. Achas que o coraçãozinho dela também bate com mais força por ti?

- Não sei.

- Mas porque é que esse coração acelera?

- Também não sei. Há qualquer coisinha nela...

- Que faz esse coração acelerar?

- Sim - envergonhado.

- Hummm!

- Hummm? Lá estás tu com o teu "hummm", mãe!

- Pois... É mesmo caso para "hummmm"! "Qualquer coisinha nela" quer dizer muita coisa. Hummm! Achas que ela também vê qualquer coisinha em ti?

- Não sei. O que é que tu achas? Diz-me tu.

- Eu? Eu é que não sei. Não vejo como ela reage. O que é que te parece? Ela reage de forma suspeita?

- Não, mas sabes que elas às vezes fingem!

- Hummm!

 

publicado às 23:40

Universitês

por Mammy, em 03.01.14

Em conversa pré-sono.

 

- Eu devia era acabar o curso.

- Também acho, mãe!

- Para o ano que vem, devia inscrever-me nas cadeiras que me faltam para acabar o curso. Já que andei lá três anos, aproveitava e acabava o curso.

- Tens razão. Mas devias inscrever-te em quê? Em cadeiras?

- Sim cadeiras, é como se diz "disciplinas" na universidade.

- Ah ah ah ah! Vocês, universitários, são muito engraçados! E como é que dizem psicologia? Banana, não?!

 

publicado às 23:30

Gente Boazinha e Invejosa

por Mammy, em 31.12.13

Para o ano que vem, quero muitas coisas. Tal como toda a gente, quero que o ano seja melhor do que este, que a saúde, o amor, o dinheiro e a felicidade não faltem. Mas também quero ver-me livre de umas tantas coisas. Entre estas coisas, estão as gentes boazinhas e invejosas. 

Não sei se será impressão minha, ou se, realmente, há mais gente boazinha e invejosa por aí. Não falo da gente boazinha e invejosa em simultâneo, mas da gente boazinha e da gente invejosa. Em separado. Gentes diferentes, mas igualmente irritantes.

 

A boazinha é aquela que faz e diz tudo o que é politicamente correcto. Tem sempre a palavra certa, no momento certo. Cheia de amor espalha-o em tudo em que toca. Ama todos os animais, todos os pobrezinhos e todos os doentes. Indiscriminadamente. Sejam eles uma destas três coisas, a gente boazinha ama como se de um filho se tratasse. Exerce o bem, dia sim, dia sim. Tem uma paciência infinita até para os mais chatos. Enfim, é gente boazinha que nunca mais acaba.

 

A invejosa é aquela que não suporta a mais pequena alegria nos outros. Qualquer coisa porreira que os outros façam tem defeito e incomoda-a. É especialista em boicotar toda a cena, cuja autoria não lhe pertença. Quaisquer cenas, desde que sejam fixes, e dos outros. Vê má intenção em tudo. Perversidade é o seu lema. A gente invejosa não tolera nem o sorriso alheio. Vive azeda e tenta azedar tudo o que a rodeia.

 

Estou cansada destas gentes. Juro, teria um 2014 melhor, longe deste tipo de gentes.

Ah e com saúde, muita saúde, saúde aos potes, para dar e vender, que daria com prazer a quem dela precisasse. Só a quem dela precisasse, é que eu não sou nem boazinha, nem invejosa, ora!

 

publicado às 02:48


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Visitas


Posts mais comentados